terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Bandidos vítimas da sociedade ou sociedade vítima dos bandidos?



Se você digitar no google 'Espírito Santo' aparecerão notícias como: "Com medo, população do Espírito Santo evita sair de casa". "Sem policiamento no ES, prejuízo no comércio já passa de 4,5 milhões." "Grande Vitória tem tiroteio e saques ao comércio mesmo com Exército."

O caos se instalou em Espírito Santo quando, na madrugada do dia 4, a polícia militar resolveu entrar em greve.
Os familiares dos policiais protestam no lugar dos agentes, já que o Código Penal Militar os proíbe de fazer greve ou paralisação. Eles se concentram nas portas dos quartéis, impedindo a saída dos agentes. A PM tem diversos motivos para entrar em greve: eles clamam por reajuste salarial, pagamento de auxílio-alimentação e adicionais noturno e por periculosidade e insalubridade. Além de denunciarem condições precárias de trabalho.

Com a ausência da PM, as "vítimas da sociedade" saíram pela rua incendiando ônibus, uma guarita da PM foi queimada e há relatos de arrastões, assaltos a lojas e estupros. Escolas, faculdades e postos de saúde fecharam suas portas. Há vídeos na internet mostrando bandidos gritando para ninguém sair na rua porque se sairem serão mortos.
E a população, completamente desarmada graças ao estatuto do desarmamento de 2003 (que só desarmou o cidadão de bem), fica a mercê dos tão protegidos pelos Direitos Humanos.

O clima ficou tão fora de controle que o governo mandou o Exército para as ruas, o qual foi aplaudido pela população no momento de sua chegada.

Com todos esses acontecimentos, fica o meu questionamento: bandidos são vítimas da sociedade ou a sociedade é vítima dos bandidos?

Mais uma vez a população clama por ordem. E mais uma vez nossos militares vão às ruas para nos proteger.

Deus proteja nossos militares!

Nenhum comentário:

Postar um comentário