quarta-feira, 31 de agosto de 2016

O QUE VEM DEPOIS DO IMPEACHMENT?



Hoje, dia 31 de agosto de 2016, é um dia histórico para o Brasil. Felicidade para uns, tristeza para outros, mas mesmo assim continua sendo um dia histórico. A presidente Dilma Vana Rousseff sofreu o impeachment, ou seja, a perda do mandato por conta de um crime de responsabilidade garantido pelo artigo 85 da Constituição Federal. Foram 61 votos a favor do impeachment e 20 contra no Senado Federal. E apesar do impedimento, ela conseguiu se manter elegível pelos próximos oito anos e assumir cargos públicos sem nenhum problema, porque foi separada a votação: primeiro fizeram a do impeachment e depois sobre a perda dos direitos políticos.

O substituto imediato da presidente afastada é seu vice, Michel Temer, ou seja, quem votou na Dilma, automaticamente votava no seu vice para ficar na reserva e assumir caso acontecesse algo com ela. Simples!

Mas e agora? Temer assume e mais o que?

Dilma ainda pode recorrer à justiça para reverter o impeachment de três maneiras:

1  1 -    Solicitar que o Supremo Tribunal Federal julgue se houve ou não o crime de responsabilidade;
      2  -    Entrar com um pedido de revisão da decisão
3  3 -    E um pedido liminar de suspensão do processo do impeachment na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, ligada à Organização dos Estados Americanos. Esse já foi iniciado.

Porém, o que quero alertar aqui é: fiquem de olho nas aulas de História. Repetidamente temos vistos discursos de golpe, apesar de o impeachment estar garantido pela Constituição Federal. Já estamos cansados também de saber que os livros de história deturpam os acontecimentos com o intuito de satisfazer um interesse político. Eu, por exemplo, um dia desses, estava lendo um artigo de uma matéria da faculdade que dizia: “o socialismo deu certo em vários países”, porém o artigo não dizia onde nem quando deu certo, simplesmente porque isso nunca aconteceu. Todos os países que tentaram implantar o socialismo acabaram com muitas mortes e com a clássica desculpa: “deturparam Marx.” Coloca aí na conta de Stalin 23 milhões de mortes, na de Mao Tse-Tung 78 milhões. Che Guevara, em seu discurso para ONU foi aplaudido de pé quando disse: “Fuzilamentos ? Sim! Temos fuzilado, fuzilamos e seguiremos fuzilando sempre que for necessário. Nossa luta é uma luta até a morte!”

Fiquem de olho!


Será ensinado para as crianças que Dilma sofreu um golpe de Estado, que o PT estava certo e se formará uma nova geração que acredita nos contos PTistas. Afinal de contas, a PTista Dilma Rousseff, com seu vocabulário impecável, saiu da presidência, mas todos os outros cargos importantes estão nas mãos deles ainda. O PT aparelhou tudo. Ainda bem que hoje temos a internet para registrar os verdadeiros fatos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário